Estados espirituais induzidos pela Ayahuasca e o envolvimento do sistema de recompensa.

A Ayahuasca é uma bebida psicoativa usada na medicina tradicional em toda a região amazônica superior, com um forte poder indutor de espiritualidade e efeitos psicadélicos. Usualmente ingerida na forma de chá, proporciona uma gratificante sensação de bem estar e transcendência, bem como alterações da percepção, que se prolongam no tempo. Este estudo tem como objetivo determinar os mecanismos neuronais que são ativados pelo consumo de Ayahuasca e o envolvimento do sistema cerebral de recompensa nos estados espirituais induzidos pela substância. Embora a evidência científica que o comprova seja escassa, há indícios da existência de efeitos terapêuticos em estados de depressão, burn-out, luto, abuso de substâncias, trauma, entre outros. Saber mais

STIPED

O projeto STIPED tem por objetivo desenvolver um tratamento alternativo, eficaz, de fácil aplicação e não farmacológico, baseado em métodos de estimulação cerebral para crianças e adolescentes com Perturbação de Hiperatividade/Défice de Atenção (PHDA) ou com Perturbação do Espetro do Autismo (PEA). O projeto será implementado através de vários estudos clínicos e envolverá um total de cerca de 500 participantes saudáveis, com PHDA e com PEA, com idades compreendidas entre os 10 e os 18 anos. Os procedimentos dos vários estudos incluem avaliação neuropsicológica, eletroencefalografia, neuroestimulação, ressonância magnética e eye-tracking. Este projeto foi financiado pelo programa de investigação e inovação Horizonte 2020 da União Europeia, envolvendo a colaboração científica entre universidades, clínicas e empresas da Alemanha, Dinamarca, Espanha, França e Portugal.

RADIcAL

O RADIcAL é um consórcio Europeu que pretende avaliar o custo e eficácia da avaliação rápida e não-invasiva de doenças do fígado por ressonância magnética através do LiverMultiScan. No primeiro estudo (RADIcAL 1), a população alvo compreende participantes entre os 18 e 75 anos de idade com suspeita de esteatose hepática não alcoólica. No segundo estudo (RADIcAL 2), participantes a partir dos 6 anos de idade que tenham efetuado um transplante hepático são a população alvo. Estes estudos tem o objetivo de incluir um total 2200 participantes em diferentes territórios da UE, sendo previsto recrutar 750 em Portugal.

BASE

O projeto BASE (Biofeedback Augmented Software Engineering) estuda uma tecnologia de biofeedback com base na neurociência para auxiliar os programadores de software na identificação de falhas (bugs) nos programas de computador, abrindo o caminho para uma maior confiança no software e redução de custos no desenvolvimento. Na indústria multibilionária do software este pode ser um salto importantíssimo para o mercado. Neste projeto usamos várias técnicas em simultâneo, a ressonância, a eletroencefalografia e o eyetracking em conjunto com outras medidas de sinais fisiológicos.

BrainTrain

O projeto Braintrain é baseado na ideia de que a neuroimagem funcional quasi tempo-real pode ser usada para treinar os pacientes a regularem a sua própria atividade via neurofeedback, modelando desta forma as redes neuronais associadas às perturbações mentais, restaurando a sua função. No âmbito do projeto, as equipas de investigação desenvolveram métodos de análise de dados de ressonância magnética funcional e apresentação de feedback quasi tempo-real, produziram protocolos de auto-regulação baseados em neurofeedback, e avaliaram do impacto clínico do treino de neurofeedback na Perturbação do Espetro do Autismo. Exploraram ainda o potencial de utilização deste tipo de paradigmas usando outras técnicas de neuroimagem (eletroencefalografia). Os estudos realizados com ressonância magnética funcional, eletroencefalografia e realidade virtual contaram com a colaboração de participantes saudáveis e de jovens adultos com Perturbação do Espetro do Autismo com idades compreendidas entre os 18 e 39 anos.

FLAD

O projeto Flad é resultante do prémio atribuído pela Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento a uma proposta que pretende explorar a ligação entre a disfunção inibitória a nível sináptico e as alterações nas oscilações cerebrais e no controlo inibitório do comportamento presentes na Perturbação do Espetro do Autismo e na Neurofibromatose do Tipo I. Caracteriza-se por uma abordagem translacional que engloba estudos clínicos e pré-clínicos. Os estudos clínicos são realizados com a colaboração de participantes saudáveis e de portadores das doenças em estudo com idade superior a 18 anos e com recurso a técnicas como o eletroencefalograma, a ressonância magnética e a estimulação cerebral.

AIMS 2 Trails

O AIMS-II-TRIALS (Autism Innovative Medicine Studies-2-Trials) constitui o maior financiamento de sempre para investigação em perturbações do neurodesenvolvimento e envolve a colaboração de diversas entidades públicas e privadas sediadas por todo o mundo. Este projeto incluirá diversos estudos com o objetivo de investigar como as Perturbações do Espetro do Autismo evoluem, desde o nascimento até à idade adulta, e de que forma essa evolução varia entre as diferentes pessoas. O primeiro estudo que irá decorrer na nossa instituição será efetuado com adultos (18 aos 40 anos) e os procedimentos do estudo incluem avaliação neuropsicológica, RM e PET.

ATSM PET

O projeto Evaluation of oxidative stress and mitochondrial dysfunction in animal models and patients of Huntington’s disease using Cu(II) (ATSM PET) tem como objetivo estudar o stress oxidativo em animais modelo da doença de Huntington, usando uma molécula marcada com cobre e imagem PET. Para perceber como o stress oxidativo está ligado a disfunções que caracterizam a doença de Huntington, a mesma técnica de imagem será usada em voluntários adultos com doença de Huntington e portadores da mutação genética.

Neuroimage In Newborns

Apesar da melhoria dos cuidados perinatais, a asfixia perinatal (AP) continua a ser uma causa importante de lesão cerebral adquirida devido à encefalopatia hipóxico-isquemica (EIH) e consequentes sequelas no neurodesenvolvimento. Vários métodos têm sido usados na prática clínica diária para predizer o prognóstico nos recém-nascidos com AP, mas nenhum teve capacidade para discriminar os défices do neurodesenvolvimento a longo prazo. Os objetivos principais deste projeto são: avaliar a precisão da ressonância magnética (RM) cerebral estrutural e funcional efetuada em recém-nascidos com AP para predizer o neurodesenvolvimento aos 18 meses e comparar os achados da RM funcional com os da espetroscopia de infravermelho próximo em recém-nascidos com AP. Estas técnicas de neuroimagem funcional têm potencial para identificar as alterações associadas com a AP antes destas se tornarem clinicamente evidentes e por isso permitirem informar detalhadamente os pais e promover uma intervenção precoce, intensiva e dirigida.